O primeiro Guia de Respostas para a Geração Pikachu foi um sucesso. Centenas de adolescentes foram ajudados e, o que é preocupante, ainda existem muitas situações para humilhações que os jovens vem sendo submetidos cotidianamente. Por isso, colocando o humor de lado e voltando a prestar serviço de utilidade pública. Odisseu Kapyn fornece novas respostas para o menor de idade que continua sendo ridicularizado ao não saber o que responder diante das mais simples zombarias. Com o Guia de Respostas para a Geração Pikachu #02, o leitor imberbe terá uma nova vida, sendo respeitado pelos colegas e garantindo um futuro de sucesso e prosperidade.

Você pinta como eu pinto?
Essa pergunta é bem velha, do tempo em que chamavam os órgãos sexuais masculinos de pinto. Mas ainda há vítimas para ela. Preste atenção na hora de responder. Na verdade, seu amigo está tentando ludibria-lo, perguntando se você brinca com o pênis dele. O truque está na semelhança fonética com a frase "Você pinta com o meu pinto?". A resposta é simples: ``Não. Não pinto com broxa´´. Desse modo você nega que usa o pênis dele e ainda insinua que ele não tem vigor sexual. Como? Reparem que broxa, além de ser aquele instrumento usado por pintores de parede é também um dos sinônimos para impotente. Pode usar sem problemas. É muito eficaz. Seus amigos vão ficar tão admirados contigo que jamais vão marcar um encontro para um dia que você não puder comparecer.

Jacaré sabe andar em terrenos alagados. Mas, jacaré no seco anda?
Opa! Calma lá, rapaz. Esta é uma brincadeira da velha geração e é bem possível que seu pai já tenha sido vítima dela. Não fale "sim", pois o adversário está lhe perguntando, disfarçadamente, se um "jacaré no seu cú anda". Ao confirmar, você dará a impressão de que é um homossexual, daqueles que deixam até um jacaré andar em seu ânus. Seja frio e responda "jacaré não entra". Rapidamente, pergunte ao seu colega "em buraco de toupeira, tatu caminha dentro?". O espertinho vai dizer que sim, sem perceber que você perguntou "está tu com a minha dentro", uma forma maliciosa de questionar se seu pênis está dentro do indivíduo. Depois de inverter o jogo de maneira tão genial, seus amiguinhos vão passar a respeitar mais seu juízo, deixando de zombar de você caso use roupas estranhas que sua tia lhe deu de aniversário.

Quem nasce em Pernambuco é pernambucano. E quem nasce em Tilambuco?
Fique alerta quanto ao perigo dessa cidade imaginária. Sim, ela não existe. Foi criada apenas para que você responda "Tilambucano", que soaria como "Te lambo o cano" e lhe faria passar por homossexual, pois cano pode ser encarado como "pênis". A melhor resposta seria dizer "tilambucuano" ou mesmo "tilambucuense". Um contragolpe a ser analisado é a resposta "tilambucuzão", que insinuaria que o inimigo está sendo tocado no
ânus. É claro que não seria nada agradável passar a língua no ânus de um
rival do sexo masculino, mas é uma forma de fazer uma referência à
disponibilidade de seu orifício, o que é sempre humilhante.

Na sua casa, qual é a melhor comida? A do seu pai ou da sua mãe?
Antes de pôr tudo a perder exaltando as habilidades culinárias de sua mãe, perceba que o inimigo está querendo fazer com que você diga que sua mãe é "uma boa comida", ou seja, que você estaria indicando sua mãe para que todos a possuíssem. Ou pior, que seu pai seria uma boa dica para uma "comida". Respire fundo e com calma diga "Lá em casa sou eu que faço a comida. Mas não sou muito bom. Vou chamar a sua mãe para ver se eu cozinho melhor". Talvez você não tenha percebido, mas na última frase você disse, num truque fonético, "vou chamar a sua mãe para ver seu cuzinho melhor". Parabéns, você deu a volta por cima zombando da mãe do canalha. Se quiser dar um golpe de misericórdia, continue dizendo "Quando ela vier, posso lavar a louça. Mas se lavo, não cozinho. Se eu cozinho, não lavo". Veja que você disse "Seu cuzinho não lavo", dando a entender que depois do serviço feito, ainda deixaria o ânus da pobre senhora sujo. Depois dessa sensacional tirada, seus amigos sempre vão consulta-lo antes de decidir que filme irão ver em grupo, acabando com aquela fase em que todos iam juntos ver um longa que você já tinha visto.

Você gosta de verdura?
Pobre daquele que disser que sim, achando que está sendo consultado sobre suas preferências gastronômicas. Perceba, pobre tolo, que o inimigo está perguntando se você gosta de "ver dura", ou seja, se você aprecia vislumbrar um pênis em estado de ereção. Há uma forma de evitar tal zombaria e ainda inverter o jogo a seu favor. Veja bem. O primeiro passo é frear o instinto e não dizer "sim". Também não diga "não", pois o inimigo pode dizer "ah! Você gosta então é de ver mole, hein? Pra depois fazer ela ficar dura!". É uma bobeira, é verdade. Mas as pessoas não se importam muito com isso quando estão dispostas a rir de alguém. Então aproveite esse clima de predisposição para a aceitação de frases idiotas e diga "Só gosto do quiabo cru da sua mãe". Todos irão se esbaldar ao ouvir algo parecido com "que abro o cú da sua mãe". É rapaz. As coisas estão cada vez melhores para você. Todo mundo agora acha você uma pessoal que sabe exatamente o que é engraçado ou não. Eles vão até achar hilário quando você usar um bordão de um personagem de novela ou de reality-show.

Você na sua casa tem tomada atrás do sofá?
Não se trata apenas de uma frase mal construída. É também uma frase mal-intencionada. Seu adversário está querendo que você diga que você tem sido penetrado analmente atrás de um estofado de seu lar. Ainda não percebeu como? "Você na sua casa tem tomado atrás do sofá?". Isso é o que ele quis dizer, garoto. Viu como é fácil ser enganado? Mas não se aflija. Basta dizer, em tom enérgico: "Por quê? Você mexe com força?". Com isso você terá criado uma frase de duplo sentido, na qual pergunta se ele exerce uma profissão como a de eletricista e também se ele, ao ser possuído sexualmente, agita os quadris com vigor. Se em meio aos risos de seus colegas, o bastardo ainda ensaiar uma reação com um desesperado "E se você fosse eletricista? Mexeria com força?", espere um momento, deixe o silêncio tomar conta do ambiente e diga "Só em fio grosso". Suas palavras soarão como "só enfio o grosso". Pronto. Mais um brilhante episódio de sua ascensão ao posto de líder da turma. Todas as novas bandas de região vão te chamar para integrar o grupo, nem que seja para ajudar na letra ou tocar pandeirola.

É verdade que você não gosta de tomar café expresso?
Cuidado. Se você fosse um idiota sem acesso a nossa orientação, o desfecho do diálogo seria assim:
- "Por quê?"
- "Porque no coador é melhor" (tradução: porque no cú, a dor é melhor)
Temos um jeito para tirá-lo dessa enrascada, supondo que você esteja sentado relaxadamente em algum lugar. Mas é preciso certo talento teatral. Faça cara de dúvida e peça um tempo para pensar. Levante-se e, com a mão no queixo (como se estivesse decidindo se gosta ou não de café expresso), conduza naturalmente seu inimigo para o local o­nde você estava sentado antes. Ao ver que o oponente sentou ali na vaga que você ocupava, faça uma expressão de espanto e, com um sorriso malicioso no canto da boca, diga: "Mal saí e você sentou na minha levantada!". Seus colegas vão entender a frase como se significasse que seu inimigo sentou em seu membro ereto (a minha levantada=meu pênis em riste). Em meio aos urros e gargalhadas de seus amiguinhos, perceba que o futuro será bem mais seguro de agora em diante, rapaz. Não precisa se preocupar em estudar nem mesmo em trabalhar de verdade. Diga a todos que você está entrando para o ramo de Relações Públicas, Hostess e afins. Como você é agora uma lenda viva na região, todos os organizadores de festas pagarão para que você divulgue ou diga que irá a seus eventos sociais, nem que seja só para ficar na porta no início de cada festejo. Dinheiro fácil.

Odisseu Kapyn
Publicado originalmente em abril de 2002

Até o proximo guia de perguntas, e nossos sinceros votos de que todos os jovens que vivem onestamente não sejam mais vítimas desses espertalhões que ainda não têm maturidade.

3 comentários:

  1. Já tô anotando tudo pra poder pegar os troxas na escola!! eles que me agardem...

    ResponderExcluir
  2. A puta evengélica28 de agosto de 2014 22:48

    kkkkkkkk
    Já ouvi essa do Tilambucano

    ResponderExcluir